Home / Variedades / Por que às vezes temos a sensação de cair quando estamos adormecendo?

Por que às vezes temos a sensação de cair quando estamos adormecendo?

416B4Você já deve ter sentido, ou ouvido alguém contar que teve a sensação de estar caindo quando estava adormecendo ou já tinha dormido, não é mesmo? Isso é bastante comum, mas porque será que isso acontece?

Como acontece?

Normalmente isso acontece quando ainda estamos pegando no sono, e nos faz despertar de súbito. O fenômeno recebeu o nome de espasmo hípnico, mas ainda não se sabe ao certo os motivos, existem apenas teorias em torno das causas desse espasmo.

Chamamos de espasmo hípnico a contração involuntária dos músculos que faz com que a pessoa desperte de forma súbita e violenta, enquanto mioclonia refere-se às contrações que são repentinas, curtas, involuntárias que podem acontecer em um ou mais músculos. O fenômeno do espasmo hípnico, por isso, ficou conhecido também como puxão mioclônico.

É um fenômeno que acontece quando estamos entrando no estágio REM do sono, em um sono mais profundo e, apesar de não ser considerada uma doença, pode representar um sintoma e um distúrbio do sistema nervoso. É mais recorrente quando a pessoa está dormindo em posição desconfortável, ou está cansada demais.

Como é

Várias pessoas descrevem isso como a sensação intensa de estar caindo ou até mesmo perdendo o equilíbrio, enquanto outros acham que parece como um choque elétrico, mas a experiência, bastante comum, (com incidência de 70% de toda a população, segundo a Academia Americana de Medicina do Sono), tem percepções diferentes de pessoa para pessoa.

Por que acontece?

Não existem ainda muitas pesquisas em torno dessa sensação de estar caindo durante o sono, mas existe uma teoria que afirma que esses espasmos aconteceriam em decorrência do relaxamento dos músculos, e também, devido às mudanças de temperatura e respiração no organismo, o cérebro interpreta-as como um sinal de queda.

Uma segunda teoria sugere que o nosso corpo apresenta reações, quando adormecemos, semelhantes às contrações que uma pessoa teria ao morrer, de forma que o espasmo seria o reflexo do organismo para que o corpo continue funcionando normalmente e, consequentemente, permaneça vivo.

Por fim, a terceira teoria que vamos apresentar, afirma que o corpo entra em um relaxamento profundo enquanto a mente permanece ativa, de forma que o cérebro manda um sinal para que o corpo reaja.
Quem e quando os espasmos são mais frequentes?

Isso é bastante comum, segundo estudos, e mais frequente, em pacientes que tễm problemas com insônia, ansiedade, fadiga e desconforto físico, assim como o estresse e a privação do sono. É mais fácil, portanto, que você passe pela experiência quando está mais cansado, ou quando não se dorme bem e até mesmo quando se esforça para manter-se acordado.
Ainda segundo estudos, a cafeína pode ajudar no processo, já que impede que a pessoa consiga relaxar completamente no sono, assim como o consumo de álcool.

Será que devo me preocupar?

Não, segundo Tom Stafford, neurocientista da Universidade de Sheffield no Reino Unido, os espasmos hípnicos são “traços da vida acordada que se intrometem no mundo dos sonhos”, e não devem ser motivos para preocupação. O fenômeno, entretanto, em alguns casos mais extremos, pode acabar causando insônia e, inclusive, alguns relatos de abdução pelos alienígenas.

Veja mais na Revista Receptiva

dsc_9169

“Passarela do Bem”: um show de solidariedade

A Rota de Compras, em realização conjunta com a Associação de Pequenas e Médias Empresas ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *