Home / Empresas / Nova diretoria assume a Microempa em 2019.

Nova diretoria assume a Microempa em 2019.

Dados refletem realidade de junho de 2017 a junho de 2018 e preocupam Comissão de Combate à Ilegalidade da Fecomércio-RS

 

De um total de R$ 1,17 tri que a economia subterrânea movimenta no Brasil, 6% é no Rio Grande do Sul, o equivalente a R$ 76,48 bi. Este desempenho reflete o período de 12 meses que vai de junho de 2017 a junho de 2018. No mesmo intervalo, porém no ano anterior (2016 a 2017), esta soma era menor, tanto no Brasil com R$ 983 bi e no estado com R$ 52,7. Este aumento preocupa a Comissão de Combate à Ilegalidade da Fecomércio-RS, coordenada pelo presidente do Sindilojas Regional Bento, Daniel Amadio, que pretende seguir motivando as lideranças locais a buscar mais arrecadação para seus orçamentos e, com isso, combater a informalidade.

 

“Não temos poder de ação. Nos resta motivar os poderes e focar esforços para cada vez mais conscientizar os setores público e privado sobre os riscos que o comércio ilegal acarreta para toda a sociedade”, lamenta Amadio, que liderou encontro da comissão na sede da Federação no dia 9 de janeiro. Ele aproveitou o momento para lembrar do projeto de lei estadual que foi aprovado a partir de um trabalho da Federação e que inibe, no Estado, as feiras itinerantes que atuam ilegalmente, vendendo produtos sem nota fiscal e, muitas vezes, pirateados ou contrabandeados. O projeto aguarda a sanção do governador Eduardo Leite.

 

Outra prática positiva apresentada foi a campanha do Sindióptica-RS, realizada no litoral gaúcho. A mensagem “Tá todo mundo cuidando dos olhos” está sendo divulgada com ações de saúde pública junto aos consumidores, alertando sobre óculos solares falsificados, que não protegem, causando danos irreversíveis à visão.

 

Números da ilegalidade no Brasil e RS

Junho de 2016 a junho de 2017

Brasil – R$ 983 bi

RS – R$ 52,7 bi

 

Junho de 2017 a junho de 2018

Brasil – R$ 1,173 tri

RS – R$ 76,48 bi

 

Fonte: Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO) e Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV/Ibre)

 

Foto: Divulgação Fecomércio-RS

Veja mais na Revista Receptiva

Cidade de João Pessoa, capital do Estado da Paraíba, tem rico acervo de atrativos para turismo cultural, histórico, lazer, náutico…

Maior economia do Estado da Paraíba, contribuindo com 30% do Produto Interno Bruto — PIB ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *