Home / Economia / Guilherme Pasin fala de conquistas e desafios de Bento Gonçalves

Guilherme Pasin fala de conquistas e desafios de Bento Gonçalves

Na abertura da agenda de palestras 2016 do CIC/BG, prefeito enfatizou a política pública de fomento ao empreendedorismo

A noite de 21 de março foi de prestação de contas da gestão dos últimos três anos e meio do prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin, durante o jantar que abriu a agenda de palestras de 2016 do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC/BG). A explanação foi acompanhada por mais de 170 pessoas, entre empresários e associados, assim como por representantes de entidades, autoridades e imprensa.

 Pronunciamento Laudir Piccoli - Presidente CIC/BG
Pronunciamento Laudir Piccoli – Presidente CIC/BG

O presidente da entidade, Laudir Miguel Piccoli, deu as boas-vindas e lembrou que o CIC atravessou inúmeros períodos de turbulência social, política e econômica ao longo de seus mais de 100 anos, porém poucos deles se demonstraram tão prejudiciais e perigosos para o futuro do Brasil quanto o vivido agora. “Em velocidade inimaginável até então, os cenários político e econômico do país se degradam, corroídos pela corrupção. O CIC está extremamente preocupado com isso e observa de perto os efeitos da crise entre as empresas e a sociedade brasileira e de Bento Gonçalves”, pontuou. Piccoli também ressaltou que a entidade não se furtará jamais ao seu papel de representante legítimo da classe empresarial local. “Lembro que empreender é uma missão de vida, uma oportunidade de transformação social e, portanto, não deve nunca deixar de ser encarada como substancial e indispensável para a atual e futuras gerações”, destacou.

Palestra prefeito Bento Gonçalves - Guilherme Pasin
Palestra prefeito Bento Gonçalves – Guilherme Pasin

 

Durante aproximadamente duas horas, Pasin falou das conquistas e desafios de sua gestão, passando pelos mais diversos setores. O primeiro a ser citado foi o empresarial. “Sempre acreditei que o poder público tem o dever de criar um ambiente acolhedor para a instalação e a expansão de empresas e com a Lei Municipal de Incentivo ao Desenvolvimento Econômico, política pública de fomento ao empreendedorismo, temos garantido importantes investimentos no nosso município, quer seja pela expansão de plantas industriais já existentes, quer seja pela atração de empreendimentos com novas matrizes produtivas e com a geração de emprego e aumento da massa salarial”, ressaltou. A Lei de Incentivo ao Desenvolvimento Econômico tem possibilitado a isenção temporária de taxas e tributos aos empresários interessados em empreender em Bento Gonçalves ou ainda a quem já está e precisa ampliarseus negócios.

 

 

Pasin garantiu a instalação de pelo menos cinco novas empresas e a ampliação de pelo menos outros dez negócios na cidade. “Por tudo isso, podemos afirmar com absoluta certeza que Bento Gonçalves é a Capital Brasileira do Empreendedorismo. A cada nove habitantes existe uma empresa constituída”, ressaltou. O prefeito abriu as portas da cidade a quem quer empreender colocando à disposição 77 lotes industriais para uso imediato e outros quatro loteamentos industriais já urbanizados e em fase de implantação, com 61 lotes, também já estão disponíveis, além de seis novos loteamentos industriais já em fase de aprovação e três condomínios industriais também  estão  disponíveis totalizando 38 pavilhões.

Palestra prefeito Bento Gonçalves

O prefeito de Bento Gonçalves também lembrou investimentos no turismo, com a aplicação de recursos nas cinco rotas turísticas da cidade e em outras atividades. Na área da educação, citou a construção e inauguração de novas escolas, o incentivo ao esporte, cultura e o atendimento a jovens e criança em vulnerabilidade social. O atendimento à saúde também foi citado ao lembrar a inauguração da UPA 24 horas, e outras unidades de saúde nos bairros beneficiando crianças, jovens, adultos, gestantes e idosos. No setor de infraestrutura, Pasin comentou a pavimentação e asfaltamento de quilômetros de ruas nas áreas urbana e rural, iluminação pública e intervenções para obras em rodovias. “Segundo informações do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) ainda nesse mês as obras serão iniciadas no trevo da Telasul”, anunciou. A inauguração da nova pista do aeródromo também foi lembrada, o primeiro passo rumo ao futuro aeroporto de Bento Gonçalves, com pista de 1.387 metros de comprimento e 23 metros de largura.

Novas empresas*:

– Intéling – eficiência  energética  – previsão  de faturamento de 140 milhões;
– Tecnogelatto- máquinas  para  sorvete –  investimento Ítalo-brasileiro;
– Solintellysys – fabricante de equipamentos para pintura automotiva -investimento Luso-espanhol;
– Eletrobohr  Robótica  &  Automação  –  Automação  industrial – investimento ítalo-brasileiro;
– Tecnoplac – Componentes para móveis.

Ampliação de empresas*:

– Completa Móveis – dobrará  o  número  de  empregos diretos em uma nova unidade industrial de 4,5 mil metros;
– Moinho Graciema – instalará um centro de distribuição de geléias, sucos e produtos alimentares no Vale dos Vinhedos;
– Todeschini – investimentos  na  ordem  de  R$  165 milhões  e a geração de centenas  de  novos  postos de trabalho;
– Grupo Caitá- investimento aproximado de  R$ 50 milhões e previsão de 260 novas vagas de trabalho;
– M.Dias  Branco/Isabela-  construção  do  maior  moinho  de trigo  da  América  Latina  com  investimento  aproximado  de 180  milhões  de  reais  e  previsão  da  criação  de  300  novas vagas diretas
– Union  Distillery  Maltwhisky  do  Brasil  Ltda,  – investirá cerca de R$ 30  milhões e  gerará  50  novas vagas de trabalho;
– Novo Hotel, Grupo  Viverone;
– Rede Super Oito  de Hotéis Executivos;
– Horta Fruti – já  investiu  cerca  de  R$  4  milhões em  um  nova  loja  de  autosserviço  instalada  no  Bairro Botafogo, gerando  40 vagas de emprego diretas;
– Lojas Renner – Instalação da segunda maior rede  de  lojas  de departamentos, deverá  gerar  em  breve cerca de 30 empregos diretos;
– Essência di Fiori – está ampliando sua planta industrial, com investimento total de R$ 8 milhões;
– Cooperativa Vinícola Aurora – construirá uma nova unidade exclusiva para sucos no Vale dos Vinhedos;
– Dalmóbile – projeta novos investimentos  em  Bento  Gonçalves  para  fabricação  de móveis;
– CV Plast – está investindo R$ 15 milhões e vai gerar pelo menos 50 novas vagas de emprego;
*Nomes e investimentos citados pelo prefeito de Bento Gonçalves 

Após seu discurso, Pasin foi questionado pelos participantes. Confira a seguir:

 1 – Antônio Frizzo – Por que o senhor nunca se refere, em todas as obras inauguradas, que tem participação do ex-prefeito Roberto Lunelli?

Guilherme Pasin – Porque as obras não são de um ser humano, não são minhas, não são do ex-prefeito e não serão do futuro prefeito, são do município de Bento Gonçalves e pagas com recurso público. O cargo de prefeito é muito maior do que a pessoa. Não compreender isso, talvez seja o resultado, o porquê o Brasil está dessa forma.

2 – Eurico Benedetti – Preocupo-me com o problema da saúde, porque de certa forma o município está arcando com toda a responsabilidade, e quem cobra INSS é o governo federal. Em breve, o município comprometerá boa parte da sua renda para a saúde e não poderá fazer outras obras em função disso. O que o senhor tem a dizer?

Guilherme Pasin – É plena verdade. A questão de saúde pública e previdência foram as causas para o estado do Rio Grande do Sul estar quebrado. São as causas que também estão quebrando o país. Quando fizeram a constituição de 1988, o município deveria ficar com 22% do bolo tributário, 38% para o Estado e 60% para a União. No entanto, hoje o município possui de 12% a 14%, o Estado de 23% a 26% e o grosso está com a União. Aonde vai esse dinheiro? Quanto mais distante, menor controle nós temos, por isso acredito no princípio da proximidade, em que se inverta a pirâmide tributária , ou seja, faz com que os municípios, que são os entes mais controlados  pela sua sociedade, administrem esses recursos.

3 – Eurico Benedetti – Assistimos a um processo lento, mas gradual de pavimentação. A grande diferença ainda com qualquer país da Europa é a pavimentação do interior. Vale dos Vinhedos e Caminhos de Pedrão são exemplos. O que está sendo feito?

Guilherme Pasin – Eu compactuo com isso e desde que iniciamos a gestão dedicamos atenção à pavimentação asfáltica no interior. Fazia 10 anos que não se pavimentava distrito em Bento Gonçalves. É uma transferência de riqueza, o turista deixa seu recurso, compra o vinho, a geléia. Também permanece o jovem no interior, a família. O pote de ouro está enterrado no interior, o enoturismo, o turismo rural, voltado a nossas belezas naturais é algo que está apaixonando o Brasil e o mundo. Estamos trabalhando com o Banco de Desenvolvimento da América Latina, financiamento que visa justamente a pavimentação do interior do município, nos quatro distritos.

4 – Moysés Michelon – Esta casa, há 50 anos, mudou a história de Bento Gonçalves. Aqui um grupo de “irresponsáveis” e um agitador de massas, no caso eu, junto com a comunidade, promovemos a primeira Festa Nacional do Vinho, em 1967. Ano que vem temos que comemorar. O que o senhor me diz de uma festa em comemoração ao cinqüentenário da Fenavinho?

Guilherme Pasin – Os questionamentos que surgem são muitos. A insegurança é grande. Fizemos um estudo com o secretário Jovino e sinto-me empoderado, junto com todos aqueles que querem o bem de Bento Gonçalves em resgatar mais uma bandeira que por tempos ficou perdida. Ano que vem é o ano do cinquentenário da Fenavinho e se depender dos nossos esforços, do nosso planejamento, que refizemos há poucas semanas, nós superaremos todos os desafios e entraves para apresentarmos à comunidade a Fenavinho tal qual ela surgiu. Esse é meu desejo, mas sozinho eu tenho muita dificuldade, porque vamos esbarrar em todos os argumentos, principalmente negativos. Se cada um nos apoiar não tenho dúvida, comemoraremos como cidadãos bento-gonçalvenses.

5 – Silvio Sandrin – Quanto ao tratamento de esgoto, que não é competência da prefeitura, mas da Corsan, como está essa situação, pois estamos tentando fazer com que a cidade seja referência em meio ambiente?

Guilherme Pasin – Quando assumimos a administração, era administrado cerca de 4% do esgoto tratado, muito em função de novos loteamentos e indústrias que investiram, antes mesmo antes de ser exigência legal, em estações de tratamento de efluentes. Isso é uma vergonha. Hoje estamos um pouco mais satisfeitos com a construção da estação de tratamento da Bacia do Barracão, que está em execução. Falta ainda bacia do Buratti e do Vale dos Vinhedos. O que buscamos junto à Corsan é uma migração do modelo que foi implantado no modelo 1, na Bacia do Barracão, ou seja, estação de tratamento de efluentes de esgotamento misto, em que se utiliza uma única vala já existente, que é da tubulação de drenagem pluvial, e se faça o tratamento lá no final na bacia de captação. O projeto foi ofertado para a Corsan em novembro passado.

6 – Rogério Arantes – Acompanhamos algumas dificuldades na área da saúde em 2015, como atrasos de repasse. Como está a obra do Hospital Público, que foi gestada na administração anterior?

Guilherme Pasin – Está em andamento, inclusive já estamos com os recursos e os projetos a ponto de abrirem a licitação para a construção do bloco cirúrgico. Oetor de patologia clínica está avançado e o centro de especialidades odontológicas em execução. É um projeto modulado, continua em operação conforme verbas do governo federal. Estamos buscando recursos para concluir..

7 – Felipe Toledo – Após três anos e meio de mandato, agora conhecedor de toda a cidade, com seus problemas e as suas expectativas para o futuro, o senhor aceitará o desafio de ser candidato à reeleição?

Guilherme Pasin – Eu confesso que repensei diversas vezes. Os interesses permeiam a todo o momento. Depois que vamos trabalhando, entendendo que independentemente de pressão, de injustiça, de ter de ser julgado por pessoas que nada fizeram por sua sociedade, as obras, as ações, os programas que tu incentivas, as vidas salvas, os empreendimentos aportados, a política colocada em prática, vamos entendendo que o melhor programa de assistência social é o trabalho e emprego. Nós, como sociedade, não conseguimos nos unir como projeto de município, ficamos presos de quem foi a ideia, quem fez a rua. O que importa é que a rua existe e atende a população. Não tenho problema algum com o resultado, confio no nosso trabalho. Vou trabalhar até o último dia do meu mandato, seja agora ou mais pra frente.

Inês Fagherazzi Bianchetti, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, parabenizou o empenho da Prefeitura Municipal na defesa dos agricultores em questões como o seguro agrícola, prorrogação da dívida junto aos bancos, valorização do turismo no meio rural. Inês fez um pedido em especial para que não esqueça de barrar o vinho a granel.

Empresário e ex-presidente do CIC/BG, Dorvalino Pozza, ressaltou que há 50 anos presidiu o CIC/BG e participou da realização da Fenavinho e da criação do Clube Esportivo e isso foi um divisor de águas. Graças à Fenavinho surgiram as empresas do mobiliário. Precisamos manter a Fenavinho e o Esportivo, pois eles são o marketing da cidade.

Marcos Carbone, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), agradeceu pelo trabalho da prefeitura junto à comunidade e a parceria com a entidade em trazer a autoestima com as campanhas de Natal e de Páscoa para revitalizar a cidade, contribuir e movimentar a economia para o comércio, o serviço e o turismo. Demonstrou apoio para a realização da Fenavinho.

Fotos crédito: Rosângela Longhi/Conceitocom Brasi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *