Home / Coisas do Dia a Dia / Bento Gonçalves comemora 50 anos da Fenavinho

Bento Gonçalves comemora 50 anos da Fenavinho

Há 50 anos a voz da Vindima chama a todos para a grande Festa Nacional do Vinho (Fenavinho) em Bento Gonçalves. Foi a Fenavinho que deu à cidade o título de Capital Brasileira do Vinho. Este ano a maior festa comemora o cinquentenário da primeira edição, realizada de 25 de fevereiro a 12 de março de 1967.

Com a chegada dos primeiros colonizadores italianos, o plantio de vinhedos tomou forma e preencheu a paisagem verdejante do município. A luta e o vigor de seus descendentes construíram uma colmeia de trabalho digna de ser vista, colorindo uma área de cerca de 90.000 m² e colocando a Serra Gaúcha na liderança da elaboração de vinhos nacionais.

A inesquecível comemoração está sendo reverenciada em 2017 por um grupo de entidades capitaneadas pelo Poder Público Municipal, visando valorizar este momento e engrandecer as memórias e o legado desta Festa que transformou Bento Gonçalves na Capital Brasileira do Vinho.

Conforme o secretário Municipal de Turismo, Gilberto Durante, a Administração Municipal já está com quatro ações programadas e que terão seu enfoque nas Bodas de Ouro da Festa: Desfile na Semana da Pátria, cujo tema municipal será “50 anos da Fenavinho”, Desfile Temático de Aniversário de Bento Gonçalves, Exposição Fotográfica Fenavinho 50 Anos e Reinauguração da Casa do Vinho. A meta, segundo Durante, é captar entre todas as entidades pelo menos 50 eventos e fechar uma extensa programação para este ano. No encontro de programação das ações comemorativas realizado no início do mês, um selo comemorativo, que deverá ser inserido em todos os materiais produzidos pelos eventos que apoiarem a celebração, foi apresentado.

“Comemorar os 50 anos da Fenavinho é comemorar a vida de milhares de homens e mulheres que se doaram pelo desenvolvimento de Bento Gonçalves. É comemorar nosso passado, nosso presente e nosso futuro, na forma de doces grãos que se transformam, nas mãos de pessoas sábias e especiais, no chamado ‘néctar dos deuses’. A Fenavinho é, sem sombra de dúvidas, nossa maior referência”, enfatiza o prefeito Guilherme Pasin.

A primeira Festa Nacional do Vinho fortaleceu não somente a vitivinicultura, mas também abriu portas para o crescimento da economia e possibilitou a visibilidade nacional. “Conseguimos trazer, pela primeira vez, autoridades nacionais para a cidade, incluindo o presidente do Diário Associados, embaixador Assis Chateaubriand e o presidente da República, Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco. Com isto a imprensa nacional deu cobertura e notoriedade para colocar o município no mapa de atrativos turísticos”, recorda o presidente da primeira Fenavinho, Moysés Luiz Michelon.

“Foi a primeira vez que os Móveis Pozza e Barzenski realizaram uma exposição em série. Havia também exposições agrícolas, comerciais e industriais, e, como consequência, hoje o município possui a maior parte da indústria moveleira do sul do país e feiras como Movelsul, FIMMA, Expobento e Fiema, entre outras. Estes cinquenta anos têm um significado econômico, pois foi a alavanca para o crescimento de Bento Gonçalves. Naturalmente que essa data é muito significativa. Ela foi a clara demonstração do que uma comunidade unida pode fazer”, finaliza

Durante os preparativos da primeira edição, foram criados o brasão e o hino do município. O brasão recorda em seus símbolos e cores o desenvolvimento industrial, a uva e o vinho, e exalta o trabalho da família bento-gonçalvense. O hino, escrito por Maria Borges Frota e musicado por Rui Barros, foi cantado pela primeira vez na edição de 1967.

Conforme a historiadora Assunta de Paris, no Livro Memórias: Bento Gonçalves, “a Fenavinho foi e é a expressão mais plena do esforço de todos, sem reservas. Empresários, trabalhadores abnegados, exército, padres, mulheres, homens, crianças, todos, enfim, deixaram de lado suas diferenças para trabalhar incansavelmente na preparação desta festa. Por isso ela não pertence a ninguém de forma especial, é um patrimônio cultural de nossa comunidade”.

Assessoria de Comunicação Social / Foto: Divulgação/ Selo Comemorativo

Veja mais na Revista Receptiva

Primeira edição aberta teve lotação máxima e presenças ilustres

  Primeira edição aberta teve lotação máxima e presenças ilustres   Mais de 100 pessoas, ...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: