Como ter boa saúde bucal na terceira idade?

Mastigar bem e ter um sorriso bonito melhora não apenas a saúde, mas também a parte psicológica.

Segundo especialista, a inclusão social favorece aos pacientes com idade avançada a busca pelo sorriso perfeito. Foto: Divulgação

A boca é a porta de entrada de todo o corpo. Mastigar bem e ter um sorriso bonito melhora não apenas a saúde, mas também a parte psicológica, revela a dentista, especialista no atendimento ao público mais maduro, Alessandra Cohen, que enfatiza a importância da saúde bucal.

“A pessoa que não tem dentes, ou os possui estragados ou gastos, começa a se fechar para o mundo – evita relacionamentos amorosos, eventos e sorrisos – acaba se isolando pela perda da autoconfiança”.

Qualquer atitude é válida para ganhar mais funcionalidade, beleza e bem-estar, explica a cirurgiã dentista. “A falta de dentes ou dentaduras gastas impedem uma alimentação correta, além de causarem constrangimentos”.

Na busca por materiais funcionais mais modernos e práticos, unido ao fator saúde e alimentação saudável, a especialista relata que, nos últimos anos, a qualidade de vida de quem chegou a fase madura mudou muito.

“Hoje, o público da terceira idade, mesmo depois de aposentado continua atuante no mercado de trabalho. Tem independência financeira, filhos criados, viagens, atividades, festas, novos relacionamentos. Para eles, ter uma rotina ativa tornou-se comum”.

Segundo Alessandra, a inclusão social favorece aos pacientes com idade avançada a busca pelo sorriso perfeito, como tinham na juventude.

“É comum que pacientes acima dos 60 anos procurem clínicas e consultórios odontológicos para fazerem implantes, clareamentos e muitos outros tratamentos, porque querem ter dentes funcionais, bonitos e vida plena”, diz a especialista.

Mais que beleza…é ter saúde

Sopas, canjas e toda variação de alimentos pastosos por muito tempo foram associados às pessoas mais velhas. Era comum que elas recorressem a esse tipo de alimento, já que não possuíam boa mastigação. Pela precariedade e difícil acesso a especialistas, muitos perdiam vários dentes e usavam dentaduras de baixa qualidade. A saúde do corpo todo acabava sendo prejudicada.

“Alguns alimentos fundamentais para o corpo exigem mastigação, como fibras e carnes. Por não terem bons dentes, muitas pessoas sem uma mastigação perfeita eram induzidas a comer sopas e, com isso, perdiam cada vez mais a habilidade de triturar os alimentos e absorver melhor seus nutrientes. Assim, comprometiam sua saúde e imunidade”, explica Alessandra.

Com a expectativa de vida cada vez maior, os tratamentos dentários restauradores passaram a ser mais procurados pela terceira idade. “Hoje é possível reabilitar completamente tanto a parte funcional quanto estética por meio de implantes, sejam individuais ou parciais, reestabelecendo a capacidade de mastigação do paciente. O protocolo sobre implante substitui, com vantagem, as antigas dentaduras para a reposição dos dentes perdidos.

“Protocolo sobre implante é a colocação de diversos implantes na maxila ou na mandíbula, nos quais serão parafusadas próteses dentárias. A prótese fixada na maxila dispensa a parte da antiga dentadura que recobre o céu da boca”, explica.

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *